Dependência de drogas é maior entre as mulheres

Nilo Fujimoto

Estudo do levantamento realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)[1] conclui que a vulnerabilidade das mulheres às drogas e álcool é maior do que  a dos homens.

Na pesquisa, apurou-se que a dependência nas mulheres se produz mais rápido e com menor consumo alcançando um índice de vício de 54%, contra 42% nos homens.

Os fatores que contribuem para maior debilidade delas são de dois tipos: hormonal e social.

Especialistas explicam que os hormônios femininos (principalmente estrogênio) reforçam – potencializam – a ação prazerosa da droga e do álcool que aceleram a dependência e com menor tempo de consumo, isto é, os sintomas da dependência [2] nelas ocorrem muito antes que nos homens.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirma:

“Por causa dos hormônios, a conexão das drogas com o cérebro é mais rápida. Elas “precisam de menos quantidade e menos tempo de uso de tóxico para ficarem viciadas”, explicou Camila Silveira, pesquiatra do Centro de Informações Sobre Álcool e Drogas (Cisa) e autora do estudo da OMS feito no Brasil.”[3]

Relevante é o outro fator: o social. Leiam o que diz a reportagem referida:

“Associadas aos fatores fisiológicos estão as questões comportamentais que favoreceram o uso de crack, cocaína e outras drogas pelas mulheres. Até 30 anos atrás, pontuam os estudiosos, não era socialmente aceito que a população feminina consumisse qualquer tipo de droga.”

Ao contrário do que na reportagem indica, o fator social é sim um elemento de barreira positiva para impedir que se produza a difusão do consumo de drogas. Não é difícil de entender. A censura social funciona como uma rede que impede que pessoas desorientadas caiam no perigoso abismo da dependência.

Sim, estou falando do temor. O temor é o receio de perder um bem no futuro e por isso move o indivíduo a praticar no presente ações que impeçam a perda desse bem. Podemos exemplificar a estima. Muitas pessoas deixam de praticar o mal temendo perder a estima de seus colegas, vizinhos ou familiares. Não é a prática mais perfeita, mas é uma ajuda. O perfeito é praticar o bem por amor ao bem. Já imaginaram se a mentira não sofresse nenhuma censura social?

Poderá objetar alguém que em nossa sociedade há censuras sociais ruins. Não nego. O mecanismo da censura social pode servir para bem ou para o mal. É por tal motivo que a sociedade ordenada e justa é aquela que se baseia em valores morais ditados pelo direito natural, dizendo com todas as letras as Leis de Deus.

É por isso que uma lei da sociedade temporal deve se ajustar às leis morais. Para que a sociedade forme uma rede de proteção e amparo a usos e costumes arbitrados pela regra fundamental da ordem natural.

Em razão disso devemos nos opor vigorosamente contra a tentativa de produzir a liberalização do consumo e produção de entorpecentes promovidas pela redação do novo Código Penal ainda em tramitação no Senado. Com tais dispositivos cortam-se nos mais débeis os mecanismos de defesa proporcionados pelo temor da penalização às condutas anti-sociais.

____________________________

http://ipco.org.br/home/noticias/dependencia-de-drogas-e-maior-entre-as-mulheres#more-13243

 

Anúncios

Caro leitor, peço que seu comentário seja sempre em relação à publicação. Obrigado!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s